Quem mexeu na minha bagunça: Semanada e Mesada

Semanada e Mesada são importantes ferramentas para a educação financeira de crianças e adolescentes

Por Milu Ramiro

Eu tenho total convicção de que todo o aprendizado de organização e criação de hábitos, quando se começa ainda na infância, oferece resultados muito mais satisfatórios e naturais. Nessa linha acredito também na organização e educação financeira. Temos – eu e minha parceira Celi Piernikarz – uma palestra sobre o tema, voltada para os pais, onde mostramos formas de apresentar o dinheiro para crianças bem pequenas, menos de três anos. Os pais amam esse aprendizado. Bom, mas isso é tema para outro artigo. Hoje, quero refletir um pouco sobre a semanada e a mesada.

A educação financeira deve ser atrelada a todos os ensinamentos que oferecemos a nossos filhos, deve ser vista apenas como mais um item da educação. Assim, como devemos ensiná-los desde cedo a guardar suas coisas no lugar certo, que devem tomar banho todos os dias, que devem respeitar os mais velhos, etc, etc, devemos ensinar também o valor do dinheiro, como realizar sonhos poupando dinheiro, como não ser um consumista inconsequente, etc. Claro que tudo isso deve ser ensinado com teorias e práticas e, principalmente, com exemplo dos pais.

Uma excelente forma de ajudar seu filho e sua filha a tomarem conta do que ganham é dando a eles a semanada e a mesada. Aí, você pode estar pensando: “Como saber quando dar a semanada e a mesada?” “Qual o valor que posso dar?”. Esse assunto gera muitas dúvidas. Mas, vamos lá, vou te dar algumas dicas.

Alguns pais têm dúvida de quando podem começar a introduzir o aprendizado financeiro por meio da semanada e mesada. Não existe uma idade exata, depende da maturidade das crianças. O que recomendo é que se inicie quando a criança já pede dinheiro para comprar coisas, como lanche na escola, figurinhas e coleções, entre outros. Nessa fase, normalmente depois dos 7 ou 8 anos, ela já tem condições de lidar com o seu próprio dinheiro e deve receber a semanada por ser tempo menor, pois crianças controlam melhor seu tempo por conta da escola, regulam o tempo pelo fim de semana.

Semanada
A semanada deve ser vista pelos pais como instrumento de educação financeira, portanto, é importante criar as regras e conversar com os pequenos a respeito.

– Eles devem receber sempre no mesmo dia, normalmente, no domingo ou segunda.
– Devem ter claro que receberão somente esse valor para as suas despesas, se acabar antes do fim da semana não receberão mais. Assim, irão precisar aprender a controlar, comprar somente o necessário.
– É importante que os pais orientem e auxiliem a que guardem uma parte desse valor logo que recebem a semanada, para que possam comprar algo mais caro no futuro, realizar algum sonho (tênis novo, jogo de vídeo game, um livro, etc).
O valor da semanada, outra dúvida dos pais, é muito relativo. É importante que os pais avaliem com os filhos o que gastam durante a semana, para que possam ter uma média do valor, que deve estar dentro do padrão da família e não no padrão da família dos amigos.

Mesada
Segue os mesmos padrões da semanada. Pode ser iniciada na pré-adolescência, deixando claro que é um marco de responsabilidade. Deve ser paga somente uma vez por mês, evitando complementos no meio do período, porque esse deve ser um aprendizado para a vida futura, quando o jovem já estará no trabalho e não irá receber um vale toda vez que acabar o dinheiro.

IMPORTANTE
– Os pais devem ajudar a anotar os gastos mensais para que os pequenos aprendam a controlar as finanças. Planilhas financeiras ajudam muito. No livro “Quem mexeu na Minha bagunça?” desenvolvemos uma planilha especificamente para crianças, com os gastos habituais feitos por elas

– A semanada e a mesada devem ser vistas com uma ferramenta de educação financeira, não devem ser atreladas a serviços feitos em casa, como arrumar a cama, passear com o cachorro, lavar a louça, etc. Isso faz parte da divisão de tarefas de todos os que compartilham a casa, não deve ser remunerado.

– Importante que os pais acompanhem os filhos no gasto desse dinheiro, ajudando no início. Mas, é importante também que os deixem caminhar sozinhos, mesmo que se “atrapalhem” um pouco. Frustração e arrependimento fazem parte do aprendizado.


Marilucia (Milu) Ramiro é jornalista, palestrante e escritora especialista em orientação e desenvolvimento profissional de jovens. É autora do livro “Quem Mexeu na Minha Bagunça?”, em parceria com a psicóloga Celi Piernikarz, e sócia de um projeto com o mesmo nome, voltado ao desenvolvimento do hábito da organização de alunos, pais e educadores.

Deixe uma resposta

Publicações Recentes

CineMaterna acontece nesta terça (05/03) com estacionamento gratuito e cortesia

CineMaterna: são sessões de cinema adaptadas para mamães e bebês. Para quem usar o aplicativo do Shopping São José...

Veja Também

spot_imgspot_img

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.