Campanha da vacinação contra a gripe é prorrogada até o dia 22 de junho

//Campanha da vacinação contra a gripe é prorrogada até o dia 22 de junho

As vacinas estão disponíveis para as pessoas do grupo prioritário em 110 unidades básicas de saúde

A vacinação é somente para o público definido pelo Ministério da Saúde. Foto: Venilton Küchler

Quem faz parte do grupo prioritário para receber a vacina da gripe e ainda não se imunizou terá mais uma semana para procurar uma unidade de saúde. O Ministério da Saúde prorrogou o fim da campanha da vacinação contra a gripe para o dia 22 de junho. Em Curitiba, a vacina está disponível em 110 unidades básicas de saúde para o público prioritário (veja a lista das unidades de saúde). O atendimento é feito de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h.

“A orientação é para que os doentes crônicos, gestante e pais com filhos na faixa etária indicada procurem as unidades de saúde nestes últimos dias de campanha e aproveitem para fazer a vacina”, orienta o diretor do Centro de Epidemiologia de Curitiba da SMS, Alcides Oliveira.

A expectativa do Ministério da Saúde é aumentar, em todo o Brasil, a cobertura no grupo de risco, que é aquele mais suscetível a ter complicações em caso de gripe. A escolha dos grupos prioritários para a vacinação contra a gripe segue recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias.

As gestantes ou os pais com dúvidas a respeito da vacina devem procurar diretamente a unidade de saúde para esclarecimentos. Não há necessidade de as gestantes e as crianças na faixa etária indicada passarem por consulta médica para a prescrição da vacina, uma vez que ela faz parte do calendário de vacinação. Já os doentes crônicos precisam apresentar a prescrição médica, caso não façam acompanhamento na unidade de saúde.

O diretor do Centro de Epidemiologia de Curitiba ressalta que a vacina é segura, feita com vírus morto e fragmentado. Ou seja, não é capaz de provocar a doença. “A vacina é contraindicada apenas para quem apresentou reação em doses anteriores ou tenha alergia grave ao ovo de galinha e derivados”, explica.

Essa já é a terceira vez que a campanha é prorrogada pelo Ministério da Saúde. Até o dia 22 de junho, a prioridade nas doses permanece sendo para os grupos definidos pelo Ministério da Saúde. Depois disso, se houver doses remanescentes, elas serão disponibilizadas gradualmente ao restante da população.

Grupos com indicação da vacina na rede pública
O público-alvo da campanha de vacinação contra a gripe é definido pelo Ministério da Saúde. Para tomar a vacina, basta ir a uma unidade de saúde e apresentar um documento oficial. Em alguns casos, é necessário apresentar também um documento que comprove que o usuário se enquadra em algum destes públicos:

– Crianças de 6 meses de idade a 4 anos, 11 meses e 29 dias;
– Idosos com 60 anos ou mais;
– Pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais, como trissomias, doença respiratória, cardíaca, renal, hepática e neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesidade e transplantados (nesse caso, se não fizer o acompanhamento na unidade de saúde é preciso apresentar solicitação ou prescrição médica com o motivo da indicação da vacina);
– Gestantes, independente do mês gestacional;
– Mulheres em pós-parto, até 45 dias após o nascimento do bebê (apresentar certidão de nascimento do bebê, cartão-gestante ou documento do hospital em que ocorreu o parto);
– Trabalhadores da saúde (apresentar declaração do vínculo de atuação);
– Professores de escolas públicas ou privadas (apresentar documento que comprove vínculo de atuação, como crachá ou declaração da instituição em que atua).

2018-06-19T11:21:31+00:00 18 junho - 2018 |0 Comentários

Deixe uma resposta