Ninguém Mexe Comigo: Artistas de grandes musicais participam de campanha contra o abuso sexual infantil

Com estética dos anos 50, o musical Ninguém Mexe Comigo conta com a participação de 40 voluntários do cenário artístico brasileiro

A cada dia, acontecem 180 pessoas estupros. A cada hora, quatro meninas de até 13 anos são estupradas. De todos os casos de violência sexual, 53,8% correspondem a crianças e adolescentes, segundo estatísticas do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Diante desse preocupante cenário, 40 profissionais da área artística brasileira abriram mão de seus cachês e aceitaram participar voluntariamente do musical Ninguém Mexe Comigo, criado para incentivar os adultos a somarem suas vozes à rede de proteção da infância.

A produção e as gravações do musical aconteceram durante a pandemia da covid-19 e seguiram todas as diretrizes e protocolos de segurança. Segundo Antonio Roberto, diretor geral do musical, foi muito gratificante despertar o interesse e engajamento de grandes nomes da cena artística brasileira, como Cassio Scapin (que protagonizou Nino na TV Cultura), André Dias (o Patrício, da novela “O Novo Mundo”, e Groa, do “Segundo Sol”), Bruna Caram (minissérie Dois Irmãos da TV Globo), Fred Silveira (Fantasma da Ópera), Anderson Bueno (Hebe – O Musical), Marly e Ulisses Montoni (Ópera Madame Butterfly), e vários outros artistas do teatro, música e televisão.

O musical faz parte da campanha Ninguém Mexe Comigo, no Instagram, Facebook e TikTok, que estreou há quatro meses, com música composta pela atriz e cantora Bruna Caram. O objetivo inicial foi ajudar crianças e adolescentes a identificarem situações de potencial abuso e aprenderem a se defender, como gritar, correr, contar ou ligar para o Disque 100. A campanha foi divulgada amplamente nas redes sociais e ganhou até repercussão internacional, tendo a letra traduzida para oito idiomas.

Para focar nos adultos e no tabu sobre esse tema que se arrasta por décadas, a música ganha novo arranjo vocal feito por Marly Montoni no estilo anos 1950. “Essa história não é de hoje e mesmo assim pouco se fala. Agora, vamos cantar juntos e mudar essa história!”, diz Cássio Scapin, que participa do videoclipe e reforça o quanto a causa é importante e urgente.

Criança relata abuso após conhecer a campanha

A campanha estimula o olhar atento dos adultos sobre abuso sexual, trazendo uma linguagem mais leve para esse assunto complexo. Por causa do clipe original, muitos pais passaram a conhecer o Disque 100 (Direitos Humanos), abriram espaço de diálogo com os filhos sobre proteção e uma criança surda relatou à mãe que estava sendo abusada após assistir a canção lançada em maio com interpretação de libras.

“Salvar uma criança dos abusos é o mesmo que salvar a humanidade. Nosso foco é conscientizar cada jovem e adulto que nossa missão é eliminar o abuso sexual infantil do Brasil e do mundo”, reflete Paola Bellucci, idealizadora da Ninguém Mexe Comigo, designer e ativista social, mestranda em Paz na Universidade Soka, em Tóquio.

VEJA TAMBÉM: Estudantes paranaenses criam rap sobre direitos das crianças e dos adolescentes

Paola teve seus direitos violados na infância e hoje se dedica para que nenhuma criança mais sofra pelo que ela passou. Mesmo morando no Japão, ela se empenha para proteger os jovens brasileiros dos abusos durante a pandemia aplicando o princípio “não deixar ninguém para trás” dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

A campanha Ninguém Mexe Comigo vem ganhando força também fora do Brasil. Em outubro, o projeto será tema de um vídeo produzido por uma associação musical de Tóquio como exemplo de projeto que une os ODS e a música para a paz.

Assista ao clipe de Ninguém Mexe Comigo – O Musical

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicações Recentes

Leitura Genial: Os livros infantis têm gênero?

Existe história especial para meninos ou meninas? Na minha humilde opinião, não Por Adelita BeckerTive uma livraria física, e nela,...

Mês da Consciência Negra é marcado por ações virtuais de museus

Atividades têm o objetivo de mostrar o trabalho de artistas negros e negras e discutir o silenciamento historicamente imposto à cultura afrobrasileira no Paraná A...

#CulturapeloBrasil: Festival de Cinema de Santos tem inscrições abertas para todo o país

Podem ser inscritos curtas-metragens de até 20 minutos e videoclipes O Curta Santos – Festival de Cinema de Santos (SP) está com inscrições abertas até...

Mulheres Paranaenses: Dirce Clève, uma mulher sintonizada com seu tempo

Professora, escritora, nomeando uma biblioteca e um concurso literário, ativista de direitos das mulheres, dona de casa, mãe e avó, Dirce Clève tem uma...

Festival Internacional de Percussão de Curitiba será transmitido pelo YouTube

A edição 2020 do Festival Internacional de Percussão terá 22 lives, entre apresentações musicais e palestras Neste ano, a terceira edição do FIP – Festival...

Veja Também

close-link