Essa música tem história: Deixa isso pra lá

“Deixa que digam, que pensem, que falem. Deixa isso pra lá, vem pra cá, o que que tem? Eu não tô fazendo nada, você também. Faz mal bater um papo assim gostoso com alguém? ”

Por Irma Bicalho

O samba “Deixa Isso Pra Lá” imortalizou o intérprete Jair Rodrigues, que o gravou em 1964. Quem não conhece esse sucesso? Se Wilson Simonal soubesse do carisma da composição de Alberto Paz e Edson Menezes, talvez não a tivesse recusado quando lhe ofereceram. Essa música é cheia de histórias interessantes, que vão além do desprezo de Simonal.

Para começar, em questão de estilo, esse samba é considerado o primeiro rap do Brasil. E isso talvez se deva ao jeitão descontraído de Jair Rodrigues, que com maestria falava os versos iniciais com mais cadência que melodia e ainda usava as mãos para marcar o ritmo e colar uma dancinha que até hoje temos vontade de executar ao cantar a música.

Um jantar promissor

Em 1964, Jair Rodrigues já tinha gravado dois LPs. Ele era crooner (denominação utilizada para cantor de vários gêneros musicais) nas boates paulistas. Certa noite, numa boate da Rua da Consolação, o produtor musical Walter Silva foi jantar com sua esposa. Talvez para desanuviar a mente das preocupações que o atormentavam. Há poucos dias do show “Dois na Bossa”, no qual Baden Powell dividiria o palco do Teatro Paramount com Elis Regina e o Jongo Trio, Walter ficou na mão quando Powell teve que viajar para a Alemanha. No jantar da Boate Cave, a jinga e a presença de palco de Jair chamaram a atenção de Silva, principalmente ao ouvir “Deixa isso pra lá” e, não deu outra, o sambista foi convidado a dividir o palco com Elis, começando aí uma longa história de sucesso e amizade.

VEJA TAMBÉM: Essa música tem história: Garota de Ipanema

Com apenas três noites em cartaz, de 9 a 11 de abril de 1965, o show foi transformado em um LP que vendeu mais de um milhão de cópias e consagrou a dupla de intérpretes. Os dois, posteriormente, foram convidados pela TV Record para estrear o “O Fino da Bossa”, programa de grande sucesso nos anos de 65 a 67, e que resultou na gravação de mais três LPs.

E sobre a letra da música? O que significa esse negócio de deixar pra lá? Quem são eles? Os que dizem, os que pensam e os que falam? Considerando a época em que foi composta, fica claro que é um desabafo sobre a tensão política que o país vivia em 64, buscando um clima de tranquilidade e despreocupação, apesar dos pesares.

História em um parágrafo

Depois de perder três eleições presidenciais, em 1945, 1950 e 1955, a UDN aliada ao PTN conseguiu emplacar Jânio Quadros, em 1960.Porém, naquela época, o vice-presidente era eleito em separado e o vice de Jânio não recebeu votos suficientes, deixando o lugar para João Goular, o Jango, do PTB, partido que representava o legado de Vargas. Com a renúncia de Jânio em agosto de 1961, Jango se torna o novo presidente. Mas os setores mais conservadores da sociedade instalaram o Parlamentarismo. Através de um plebiscito, o presidencialismo retorna no início de 63, aumentando a tensão política entre os conservadores e a esquerda.  Jango era retratado por seus adversários como comunista. Com a polarização ideológica, o anticomunismo e a adesão dos militares à conspiração, tornou-se possível o golpe de Estado em 31 de março de 1964. Com isso, só em 1989 o Brasil voltaria a ter eleições diretas para presidente.

Reação dos artistas

Com o golpe de 64, a classe artística se manifestou de diversas formas. Alguns deixavam claro a insatisfação e sofreram por isso duras formas de censura, sendo monitorados e perseguidos. Muitos foram exilados, como Caetano Veloso, Geraldo Vandré e Chico Buarque.

No caso de Jair Rodrigues, o artista permaneceu neutro. Não tinha um discurso contrário ou favorável aos militares e tocou sua carreira deixando tudo pra lá. Porém, é preciso observar, que mesmo o apolítico torna-se político, quando se cala diante da falta de liberdade, da ditadura e da violência.

Polêmicas à parte, Jair foi um grande intérprete brasileiro. Sua alegria contagiante o marcou e o sucesso de “Deixa isso pra lá” alavancou sua carreira. Teve dois filhos, também músicos, Jair Oliveira e Luciana Mello. Morreu em maio de 2014, deixando 47 discos gravados.

Confira uma apresentação de Jair Rodrigues cantando “Deixa isso pra lá” e “Vem chegando a madrugada”

 

 

 

 

Apoie os pequenos negócios!
Acesse a Rede do Bem e confira os pequenos empresários e comércios que estão trabalhando para deixar sua vida mais confortável!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicações Recentes

Leitura Genial: Os livros infantis têm gênero?

Existe história especial para meninos ou meninas? Na minha humilde opinião, não Por Adelita BeckerTive uma livraria física, e nela,...

Mês da Consciência Negra é marcado por ações virtuais de museus

Atividades têm o objetivo de mostrar o trabalho de artistas negros e negras e discutir o silenciamento historicamente imposto à cultura afrobrasileira no Paraná A...

#CulturapeloBrasil: Festival de Cinema de Santos tem inscrições abertas para todo o país

Podem ser inscritos curtas-metragens de até 20 minutos e videoclipes O Curta Santos – Festival de Cinema de Santos (SP) está com inscrições abertas até...

Mulheres Paranaenses: Dirce Clève, uma mulher sintonizada com seu tempo

Professora, escritora, nomeando uma biblioteca e um concurso literário, ativista de direitos das mulheres, dona de casa, mãe e avó, Dirce Clève tem uma...

Festival Internacional de Percussão de Curitiba será transmitido pelo YouTube

A edição 2020 do Festival Internacional de Percussão terá 22 lives, entre apresentações musicais e palestras Neste ano, a terceira edição do FIP – Festival...

Veja Também

close-link