De Chaleira: Com a vitória da ganância, nasce a Superliga

Entenda sobre esse novo campeonato que declara guerra no futebol

Aline Campanhã

Na noite de domingo, no último dia do final de semana, uma bomba – das grandes – estourou nas redes sociais. O anúncio que, enfim, a ideia da Superliga saiu do papel e se tornou realidade causou um rebuliço entre os amantes do futebol.

Vamos entender, de maneira simples, o que esse novo campeonato significa para o futebol?
Traduzindo para a nossa realidade, imaginem um novo Campeonato Brasileiro, mas só com os maiores de cada estado: os 4 de São Paulo + os 4 do Rio de Janeiro + os 2 do Rio Grande do Sul + os 2 de Minas Gerais. Agora, acrescentem mais três times populares no Brasil, pode ser o Athletico Paranaense + Ceará + Bahia. No total são 15 clubes, certo? Esses disputariam a “Superliga Brasileira” todos os anos, sem chance de exclusão ou rebaixamento.

Como a competição tem a ideia de possuir 20 equipes, então cinco vagas são abertas a cada edição do torneio e cinco clubes diversos podem ter a “sorte” de serem convidados para participar dessa competição.

Entendido até aqui? Vamos seguir!
Quem assume o comando desse campeonato são os próprios clubes. Isso mesmo, não existe mais nenhum órgão federativo que possa interferir em suas decisões ou regras, os próprios diretores, daquelas quinze estáveis equipes, são os chefões.

Tenho que concordar que lendo rapidamente, mas bem rápido mesmo, sem pensar muito, a ideia até parece boa. Mas ao pararmos para analisar tudo isso, vemos que é uma verdadeira cilada e reprodução do que acontece nesse nosso mundo: ricos ficando mais ricos e pobres ficando mais pobres.

Chegou a hora de entendermos a verdadeira SuperLiga
Os doze grandes clubes da Espanha, Itália e Inglaterra – Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid, Juventus, Milan, Inter de Milão, Manchester City, Manchester United, Chelsea, Arsenal, Liverpool e Tottenham – anunciaram a criação da Superliga, em oposição ao modelo atual da Liga dos Campeões da Uefa. A intenção, dizem eles, é romper com essa federação corrupta, mas, na verdade, tudo não passa de uma elitização porca do futebol.

Esses clubes fundadores terão vagas fixas na competição – falta a confirmação de três equipes – e as outras cinco vagas serão para os convidados.

A UEFA – União das Federações Europeias de Futebol – é totalmente contrária a essa decisão e diz ter o apoio das federações e ligas futebolísticas para barrar essa iniciativa dos clubes. A ideia desses órgãos, a princípio, é entrar na justiça e excluir os “clubes rebeldes” de todas as competições que eles fazem parte.

A FIFA – Federação Internacional de Futebol – também se revelou extremamente contra, ameaçando proibir os jogadores da Superliga de disputar qualquer competição pelas suas Seleções.

É lógico que ainda haverá muito desdobramento acerca disso, mas se a competição for realmente aceita, ela já começará na próxima temporada.

Em uma surra de elitismo, para resumir, são os gigantes europeus trabalhando para o seu próprio bem. Esquecer as equipes menores e optarem por deixá-las com ainda menos visibilidade é a vitória da ganância sobre o esporte. Triste.

 


Interiorana de São Paulo, amo colocar um sorriso no rosto, soltar uma boa gargalhada e assistir um futebolzinho. Jornalista unespiana, sou torcedora fanática desse esporte. Grito, choro, coloco minha camiseta e, se deixar, vou até amanhã falando sobre a partida do final de semana. Será que você tem paciência para ouvir?

 

 

Você sabia que o Curitiba de Graça é um veículo feito por jornalistas e é independente? Para continuarmos fazendo nosso trabalho de difusão da cultura precisamos do seu apoio. Veja como colaborar AQUI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Publicações Recentes

Duas narrativas, um autor

Com textos sensíveis combinados a imagens de apurada técnica, André Neves acredita que as narrativas verbais e visuais andam...
- Advertisement -

Veja Também

spot_imgspot_img

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.