Ressaca Cultural: O Tigre Branco

O Tigre Branco, que sob um olhar apressado parece ser mais do mesmo, surpreende e mostra as diferenças entre as classes sociais, a servidão e apresenta a realidade indiana de maneira crua e irônica. O filme, adaptado, concorreu ao Oscar e não decepcionou

Mariana Ramiro

Todo ano eu tento assistir a maior quantidade possível de filmes indicados ao Oscar antes da premiação. É um hábito que adquiri quando fiz um bolão com meus amigos em 2015 e, desde então, tento segui-lo.

Quando vi que o filme O Tigre Branco estava concorrendo ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, lembrei logo que o livro estava na minha estante há um tempo e eu ainda não o havia lido. Então, decidi correr para lê-lo e finalizar a leitura antes de assistir ao filme. Essa foi uma tarefa bem fácil de fazer. O livro, escrito pelo indiano Aravind Adiga e vencedor do Man Booker Prize de 2008, é rápido de ser lido e extremamente marcante.

Na obra, Balram escreve uma longa carta ao primeiro-ministro chinês sobre sua história de vida e sobre como se tornou um poderoso empresário na Índia. É através dessa carta que conhecemos sua trajetória. Ele nasceu em uma aldeia na Escuridão, a parte da Índia que pertence aos pobres. Segundo ele, hoje há apenas duas castas na Índia: a dos que têm barriga e dos que não têm. Ou seja, quem come bem e quem não come.

Na infância, Balram foi comparado a um tigre branco, animal raro que nasce uma só vez a cada geração, por causa de sua inteligência. Apesar de se destacar entre seus colegas de escola, ele foi obrigado a largar os estudos ainda jovem para trabalhar e ajudar a família. Seu destino e suas possibilidades, portanto, foram delimitados e havia pouco que se pudesse fazer para mudar essa situação.

Porém, ele era ambicioso e tinha um forte espírito empreendedor, que o levou por caminhos diferentes do resto de sua família: queria sair da Escuridão e chegar à Luz. Essa parece ser mais uma daquelas histórias de superação de uma pessoa que conseguiu se destacar e alcançar o sucesso financeiro e reconhecimento apesar de todas as adversidades, apenas com seu esforço e dedicação, abdicando das suas horas livres para trabalhar “enquanto os outros dormem” e tudo aquilo que estamos muito acostumados e cansados de ouvir. Mas, O Tigre Branco não é mais uma dessas histórias.

O livro é, na verdade, uma grande crítica às desigualdades sociais, ao sistema que privilegia e beneficia cada vez mais os mais ricos, que vê alguns seres humanos como melhores do que outros e que faz com que quem está lá embaixo na hierarquia das classes sociais não tenha a mínima condição de se enxergar nessa posição e, muito menos, de sair dela.

Apesar de trazer uma crítica bem universal, que pode facilmente ser traduzida e reproduzida em qualquer outro país do planeta, O Tigre Branco ainda nos apresenta a Índia sob a ótica dos mais pobres, aqueles pertencentes às castas mais baixas, de maneira crua, direta e, por vezes, muito irônica. Através da visão de Balram, que é motorista de uma família rica, conhecemos de perto as contradições desse sistema e a corrupção no país. A construção dessa ambientação e dos personagens é tão bem feita, que mesmo algumas atitudes moralmente questionáveis são, se não perdoadas, ao menos compreendidas pelos leitores.

Um daqueles livros marcantes, que mexem com diversos sentimentos do leitor e geram inúmeras reflexões e discussões. Quem sabe, a visão do Balram ajude a conscientizar as pessoas sobre questões de classe lá na Índia e por aqui também.

O filme acabou não ganhando o Oscar, mas a adaptação ficou bem fiel ao livro – na medida do possível –, então também recomendo que o vejam. Depois de ler o livro, claro! Garanto que não vão se decepcionar.

 


Mariana Ramiro é uma profissional de marketing apaixonada por livros desde que se conhece por gente. Ela também é dona do canal Ressaca Cultural, no YouTube, onde compartilha experiências literárias e cinematográficas e você pode acessar AQUI.

 


Você sabia que o Curitiba de Graça é um veículo feito por jornalistas e é independente? Para continuarmos fazendo nosso trabalho de difusão da cultura precisamos do seu apoio. Veja como colaborar AQUI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Publicações Recentes

Por trás das cortinas da Ave Lola: a primeira década de uma trupe de teatro

Trupe Ave Lola completa dez anos e lança websérie documental em maio Quais são as histórias que uma trupe de...
- Advertisement -

Veja Também

spot_imgspot_img

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.