Rapper paranaense lança single sobre a pandemia no dia do hip hop

Nova música de Gueg PR reflete sobre a realidade do Brasil nesses últimos meses

Por Kristiane Rothstein

O rapper ponta-grossense Gueg PR lançou hoje, 12 de novembro, Dia Internacional do Hip Hop, em suas redes sociais, o seu mais novo single “Pandemia”. O músico descreve na letra a realidade que o país vem vivendo desde que foi decretada a pandemia do coronavírus, em 11 de março.

Da corrida aos hospitais até o uso cotidiano de máscaras, passando por um descontrole de ações pelo governo federal, são abordadas na letra contundente – característica do rap. “Essa faixa single busca conscientizar a população que o vírus ainda continua afetando a vida de todos, que a vacina não chegou, a importância do uso de máscaras e o distanciamento social”, afirma.

Quanto à gravação em si do clipe, ele conta que “deu muito trabalho”. “Foi a produção mais louca de todas, me estressei bastante, não terminava nunca. Desde a música, gravei umas 20 ou 30 vezes até encontrar um flow diferenciado no estilo Gueg pesado e sem perder a essência. Penso que foi o melhor clipe que já desenvolvi, ficou bem elaborado dentro das minhas circunstâncias com o equipamento disponível e a criatividade possível nessas duas décadas de hip-hop. Gastei grana, emprestei, aluguei equipamentos, paguei o pessoal, tudo independente. Foi um processo demorado porque não podia reunir todos para uma ação única, fui aos poucos fechando as cenas até chegar nesse formato.”

VEJA TAMBÉM: Banda paranaense, com influências que vão de Sá e Guarabyra ao grunge, lança novo EP

As dificuldades ainda existem, apesar dele ser da velha escola do movimento hip hop do Paraná, e um dos precursores do rap no estado: já gravou 15 videoclipes e cinco álbuns (disponíveis nas redes Gueg PR e em www.gueg.com.br). “Criei letras em 1993 e iniciei minhas primeiras apresentações em 1995, passei por algumas formações com Gueg, Mc Pá, Aline DJ A e DJ Banga”, aponta. Atualmente, ele desenvolve produções em áudio e vídeo, participa de shows, projetos sociais e culturais.

Para desenvolver seu trabalho, Gueg PR teve influência de nomes consagrados, como Racionais MCs. “Antigamente eu ouvia apenas rap o dia inteiro, Racionais, Gog, Facção Central, Realidade Cruel, Face da Morte e outros. Hoje em dia, ouço de tudo para poder ter uma noção de como os cantores estão trabalhando, seja na produção ou no lançamento de músicas…, ouvir diferentes estilos musicais enriquece meu aprendizado como produtor, agrego valor, trago ideias novas para o meu home estúdio, conhecido como Fabrik Produções.”

Divulgação, divulgação, divulgação

A falta de divulgação é ainda o maior entrave para mostrar a produção dele, dos colegas de Ponta Grossa, de Curitiba e do estado todo. “Há tempos eu acompanho o cenário do Paraná, a galera está trabalhando bastante, produzindo muita música boa e batendo forte até fora do estado, admiro a Karol Conka, Thiagão, Mano Fler pelo sucesso. Há sempre muito empenho e investimento de tempo e dinheiro pra desenvolverem seus sonhos e trabalhos.”

Para ele, o rap é pura resistência da cultura periférica. “O rap sempre foi resistência cultural, a expressão do oprimido, e hoje, os músicos, os rappers, estão fazendo eventos cada vez melhores, com um olhar mais aguçado, participam de grandes festas, editais e conquistam novos espaços para desenvolverem seus trabalhos.”

Mesmo com destaques como Emicida, que hoje é um nome que transita por grande parte das classes sociais, ele comenta que é preciso de muito trabalho para poder mostrar a sua música. “É preciso estar atento às plataformas digitais e falar sobre diversos assuntos, mostrar conhecimento e adaptar-se ao mercado, não um modismo conformado, mas fazer música”, enfatiza.

Sobre a produção de rap na capital, Gueg PR comenta que vê “um mix muito forte da capital com várias tendências desde o clássico até a nova geração”. “Respeito a caminhada e qualidade dos trabalhos que estão saindo cada vez melhor, tenho acompanhado lives e clipes, e um trabalho que me chamou atenção esse ano foi do Rapper Aka Rasta”, observa.

Já em Ponta Grossa, ele conhece bem o cenário, pois é fundador do hip hop na cidade. “Conheço bem essa cena, temos excelentes MCs que produzem músicas e clipes monstros com roteiros e letras pesadas, com bastante qualidade, porém, infelizmente, apanhamos por igual na divulgação”, lamenta.

Segundo Gueg PR, é importante que empresários locais valorizarem o rap feito no estado. “Precisamos nos valorizar como músicos e dar a cada um o destaque merecido. Nós, do Paraná, somos mais vistos pelas boas contratações de outros estados do que pelas ações, pela cultura local e vendas de shows.”

Gueg-PR lembra também de produções locais que incentivam a cultura hip hop. “Os alicerces culturais como o Programa Sintonia Hiphop com Mano Hood, as batalhas da Concha de Londrina do Wmc , o Projeto Rap Paz na capital com o Don Joe, o Conexão das Periferias da Sheila As Donas em Gpva, o Conexão Rap Litoral do Du Rap Suburbano, o meu trabalho com o AbrilprorapPG (2003) e o Programa de TV aberta Hip Hop PG, no canal TV Cultura que durante oito anos fez diferença no estado, apesar de pouco valorizado.”
Para 2021, ele anuncia que um novo trabalho. “Estou reunindo todas as novas músicas em parcerias, aguardem, só pedrada sonora para 2021!”.

Assista ao videoclipe

Pandemia
Gueg PR

A pandemia abalou
na primeira confirmação
geral somos escravos
do sistema sem noção

Trago bomba atual
a entrada é de graça
no país do carnaval

Aqui é um absurdo
passamos dos limites
somos terceiro mundo
epicentro do Covid

Guerra sem massagem
sem médico ou hospital
milhões de contaminados
somente covas sem funeral

A mídia informou
empresário desacreditou
a vida perdeu o valor
a pandemia se instalou

Use máscara
no momento é crucial
proteja quem vc ama
isolamento social

Sem nada ao nosso favor
somente dor e desespero
não adianta lavar as mãos
e agredir o enfermeiro

Atraso nos salário
sempre foi uma palhaçada
saúde sempre negada
auxilio emergencial
mano uma piada

Estádio virou hospital
na falta de oxigênio
o colapso é geral
pandemia do interior à capital

Correr a cidade inteira
com parente passando mal
atrás de uma vaga
nem com decreto judicial

Violência em meio a pandemia
ação policial descontrolada
protesto e borrachada

Outro vírus é o racismo
o preto e o branco desunido
é muito ódio envolvido
O homem é um animal pouco evoluído

Intolerância no Brasil
eu não passo pano desgoverno
tirados pelo presidente americano

Use máscara
no momento é crucial
proteja quem você ama
isolamento social

É muito fácil por gravata
e quebrar todas as regras
é foda busão lotado
Amontoados nas favelas

Sistema lucrativo
a morte seu objetivo
veem como negócio
pandemônios como sócio

Pouco investimento na medicina
liderança suicida
sem estudo sem saúde
cloroquina não é vacina

Sem velas e muito caixão lacrado
morreu desacreditando
achando que era besteira
contaminando a família inteira

Seu desinformado não é inventado
no valão vai se enterrado
se tiver alguma chance
duas semanas internado

Use máscara
no momento é crucial
proteja quem você ama
isolamento social

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicações Recentes

Maringaense Laurentino Gomes é um dos vencedores do 62º Prêmio Jabuti

O escritor venceu a premiação na categoria “Biografia, Documentário e Reportagem” com o primeiro volume de sua trilogia “Escravidão” O...

Curitiba tem exibição gratuita e ao ar livre de filmes natalinos clássicos

Sessões de cinema acontecerão no Terraço do Cine Passeio e Coreto Digital do Passeio Público Por Camile Triska, com assessoria de imprensaO cinema também faz...

Filme brasileiro que concorre como candidato ao Oscar estreia no Cine Passeio

Nova programação presencial traz os nacionais e premiados "Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou" e "Pacarrete" Por Camile Triska, com...

Exposição no Ventura Shopping traz ângulos diferentes de Curitiba

“Um Olhar, Uma Curitiba”, de Daniel Castellano, segue em cartaz até o fim do ano Até o final do ano está em cartaz no Ventura...

Semana de atividades on-line do História Viva celebra o Dia Internacional do Voluntário

Atividades têm objetivo de ajudar a formar novos voluntários Em 5 de dezembro é comemorado o Dia Internacional do Voluntário. Para celebrar a data e...

Veja Também

close-link