Documentário sobre cena musical curitibana estreia em canal de TV por assinatura

O documentário Uma Fina Camada de Gelo percorre a cena musical curitibana desde a década de 70 até começo dos anos 2000

Nesta próxima quarta (23/09), o documentário Uma Fina Camada de Gelo, de Vinicius ‘Tchê’ Ferreira, sobre a cena musical curitibana, terá estreia nacional na televisão por assinatura. A exibição será às 22h, no canal Music Box Brazil.

Para Vinicius, é importante e gratificante essa estreia nacional, pois o documentário debate não só a cena musical de Curitiba, mas a condição de músico e artista independente. “Sempre foi uma dificuldade se reinventar não só na produção artística, mas ter que descobrir modos de ser ouvido, chegar ao público. O filme tenta trazer um pouco dessa luta dos artistas e ajuda a entender que isso é uma coisa cotidiana que sempre vai existir, só muda a forma de fazer conforme período histórico”, observa.

Com pouco mais de uma hora de duração, o documentário apresenta entrevistas com produtores, donos de bares, radialistas, jornalistas e músicos, percorrendo o período entre o final da década de 70 até começo dos anos 2000 para tentar resgatar e registrar a história de uma cena multifacetada da capital que já foi chamada de “a Seattle brasileira” por causa da quantidade de bandas que proliferavam por aqui a partir de meados da década de 80.

Por meio de depoimentos de personagens importantes, entre eles os músicos Rodrigo Barros Del Rei (Contrabanda, Beijo AA Força, Maxixe Machine e Orquestra Sem Fim), Fabio Elias (Relespública), J.R. Ferreira (July et Joe, Intruders, Magnéticos e dono do Ninety Two Degrees, o 92 Graus, o templo da música autoral curitibana) e Paulinho Teixeira (Blindagem), entre outros.

“Poder deixar essa história para futuras gerações saberem que a gente fez barulho, som, música, fez o sonho virar realidade. As dificuldades dão graça à vida. Pro rock nunca foi fácil mesmo e fazer parte de uma história com tantos artistas legais é uma recompensa muito grande pra gente que respira música e vive da música todos os dias da nossa vida”, aponta Fábio Elias, em nome do Relespública.

Para Jr Ferreira, músico, produtor e proprietário do lendário Espaço Cultural 92 Graus, contar essa história é inspirador e pode ajudar a não “deixar peteca cair” pra futuras produções e futuros acordes. “Quanto mais gente puder ver, mais legal para nossa história e nossa música. Vamos ver se a gente quebra essa camada de gelo com esse céu maravilhoso”, finaliza Jr Ferreira.

VEJA TAMBÉM: Rock paranaense invade o palco do Autocine Show

O documentário ainda tem conversas com radialistas e empresários, como a locutora Margot Brasil (rádios Estação Primeira e Mundo Livre FM) e o empresário e produtor Helinho Pimentel, responsável por inúmeras iniciativas de apoio à produção local e que hoje gerencia a Pedreira Paulo Leminski, o maior e mais tradicional espaço de shows da capital paranaense.

Na pesquisa de imagens, Vinicius teve o auxílio do pesquisador Manoel Neto (que também assina o roteiro do documentário) e do jornalista Rodrigo Juste Duarte, que mantêm o acervo do Museu do Som Independente (Musin). A produção executiva de todo o projeto Uma Fina Camada de Gelo é do advogado e músico Fabiano Neves.

Cena musical curitibana em livro

O documentário é “irmão” do livro Uma fina camada de gelo – o rock autoral e a alma arredia de Curitiba, escrito por Eduardo Mercer. Durante a produção do livro, ele comenta que percebeu que Curitiba é uma cidade excessivamente voltada para si mesma, por isso considera fundamentais as iniciativas para aproximar a nossa música e os nossos artistas das outras cenas brasileiras. “É uma ótima notícia. Muita música boa foi feita em Curitiba, em todos os estilos, e esse patrimônio merece divulgação eterna e ininterrupta na própria cidade e no resto do país”, observa.

O músico Gabriel Teixeira, integrante das bandas Sr. Banana e Black Maria, avalia que esse projeto, livro e documentário, compõe um histórico registro da cultura curitibana e do que aconteceu na época. “É muito rico por trazer à tona essa nossa cultura tão underground. O artista em geral sempre foi meio marginalizado e é muita coragem de quem faz disso sua profissão. Um documento como este será acessado por futuras gerações e não só por nós, mas por pessoas de fora que saberão o que aconteceu aqui e veio para inspirar e resgatar uma história que nunca tinha sido bem contada até agora”, diz ele.

O canal Music Box Brazil é o 623 nas operadoras Claro HD, Net e Claro, o 145 na Oi TV e o 123 na Claro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicações Recentes

Leitura Genial: Os livros infantis têm gênero?

Existe história especial para meninos ou meninas? Na minha humilde opinião, não Por Adelita BeckerTive uma livraria física, e nela,...

Mês da Consciência Negra é marcado por ações virtuais de museus

Atividades têm o objetivo de mostrar o trabalho de artistas negros e negras e discutir o silenciamento historicamente imposto à cultura afrobrasileira no Paraná A...

#CulturapeloBrasil: Festival de Cinema de Santos tem inscrições abertas para todo o país

Podem ser inscritos curtas-metragens de até 20 minutos e videoclipes O Curta Santos – Festival de Cinema de Santos (SP) está com inscrições abertas até...

Mulheres Paranaenses: Dirce Clève, uma mulher sintonizada com seu tempo

Professora, escritora, nomeando uma biblioteca e um concurso literário, ativista de direitos das mulheres, dona de casa, mãe e avó, Dirce Clève tem uma...

Festival Internacional de Percussão de Curitiba será transmitido pelo YouTube

A edição 2020 do Festival Internacional de Percussão terá 22 lives, entre apresentações musicais e palestras Neste ano, a terceira edição do FIP – Festival...

Veja Também

close-link