Curitiba recebe mostra de cinema “marginal”, também realizada na Suíça

/, De Graça, Eventos Culturais/Curitiba recebe mostra de cinema “marginal”, também realizada na Suíça

Criado na Suíça, esta é a primeira vez que o Brasil recebe o Cine Brasil Marginal

Criado na Suíça, esta é a primeira vez que o Brasil recebe o Cine Brasil Marginal. Foto: Divulgação

 

Entre os dias 13 e 15 de abril, a Cinemateca de Curitiba receberá a primeira edição do Cine Brasil Marginal. O evento foi criado na Suíca, onde fez sua segunda edição esse ano com o apoio da Universidade de Zurique. O objetivo é mostrar o cinema brasileiro feito por artistas de movimentos sociais e que defendem os direitos humanos. A entrada é gratuita.

Serão três dias de programação com a exibição de cinco longa-metragens, uma sessão de curtas, além de encontros com debates críticos e exposição de fotos e vídeo-arte. “A programação aborda temas e personagens que estão às margens da sociedade, na busca pela valorização de um debate mais honesto e profundo”, diz Thaís Aguiar, uma das idealizadoras do evento.

Entre as temáticas trazidas ao público está a questão dos refugiados recém-chegados ao Brasil; a falta de moradias para a população; a política diante do avanço do fundamentalismo religioso; a transexualidade; a população indígena e os povos tradicionais; a relação entre Brasil e África; entre outros. Também haverá uma mesa redonda com o tema “Sociedade e Empatia”.

O Brasil para o mundo
Nos últimos anos, o Brasil esteve com frequência nas manchetes e discussões no mundo todo. Sejam pelas transformações sociais ou movimentações populares e políticas, o país virou pauta acompanhada com interesse em outros países. Para esclarecer as mudanças pelas quais o Brasil passa, o evento levou essas questões por meio dessa mostra para a Suíça, no ano passado.

Este ano fez sua segunda edição em Zurique, com uma média de 300 pessoas por dia. E estende a programação também para o Brasil, sendo Curitiba a cidade que sediará a primeira edição brasileira da mostra. O evento foi idealizado pelo Coletivo Taoca, composto por produtores e artistas brasileiros, suíços e holandeses. Taoca em tupi-guarani significa uma variedade de formigas. O coletivo promove iniciativas criativas e socialmente justas e propõe um pensamento político crítico abrindo espaço para a discussão.

Confira a programação completa:

13 de abril
19h – Abertura da Mostra com Fabiana Kuriki, Andre Luzzi e Thais Aguiar
19h30 – Longa: Era o Hotel Cambridge – 100′ | Brasil | Eliane Caffé | Doc Drama | Pte
Refugiados recém-chegados ao Brasil dividem com um grupo de sem-tetos um velho edifício abandonado no centro de São Paulo. Os novos moradores do prédio têm que lidar com seus dramas pessoais e aprender a conviver com pessoas que, apesar de diferentes, enfrentam juntos a vida nas ruas.
21h- Exposição do Fotógrafo Francisco Proner Ramos e Vídeo-arte “Moi, Brésilienne” de Fernanda Peruzzo

14 de abril
14h – Longa: “Epidemia de Cores” 70′ | Brasil | Mario Eugenio Saretta | Doc |Pt
O documentário narra a rotina dos participantes e coordenadores da Oficina de Criatividade ministrada no Hospital Psiquiátrico São Pedro, em Porto Alegre. As atividades no local contam com a participação de ex-internos e moradores.
15h20 – Longa: “Entre os homens de bem” 104′ | Brasil | Carlos Juliano Barros e Caio Cavechini | Doc | PTe
O avanço do conservadorismo e do fundamentalismo religioso no Congresso Nacional Brasileiro contra os direitos dos LGBTs, através da atuação política do deputado Jean Wyllys.
17h10″ – Sessão de Curtas Memórias do Cais Valongo:
27′ | Brasil | Carlos Muricy e co-direção de Carlo Alexandre Teixeira| Doc
A boneca e o silêncio
19’ | Brasil | Carol Rodrigues | Ficção
O menino invisível
8’ | Brasil | Murilo Deolino |Ficção
Super Oldboy
15’ | Brasil | Eliane Coster |Ficção
Corpo Manifesto
25’ | Brasil | Carol Araújo | Documentário
Água – Um Direito Humano
12’ | Brasil/Suíça| Taoca | Documentário
19h – Mesa de diálogo com Daniella Annoni, Adriana Belmonte, Laysa Carolina Machado e Isabela Perotti – Tema: “Empatia Social”.
20h – Longa – “Olhe para mim de novo” 77′ | Brasil | Kiko Goifman e Claudia Priscilla | Doc |Pte
Sylvio Luccio, um transexual que nasceu mulher e agora é homem, está feliz com sua companheira e deseja ter um filho com ela. Neste documentário, ele faz uma viagem pelo Nordeste do Brasil para se reconciliar com um passado cheio de discriminação.
21h30 – Encontro Cine Brasil Marginal – Curta discotecagem de Estrela Leminski – A Caiçara | R. Dr. Claudino dos Santos, 90 – São Francisco

15 de abril
14h – Longa: “Do outro Lado do Atlântico” 90’ | Brasil | Márcio Câmara e Danielle Ellery | Doc
Um filme que retrata as semelhanças e o desconhecimento entre as culturas do Brasil e as de países africanos que tem o português como língua oficial.
15h30 – Longa: “Martírio” (2017) 160’ | Brasil | Vincent Carelli | Doc
Uma análise da violência sofrida pelo grupo Guarani Kaiowá, uma das maiores populações indígenas do Brasil, que sofre com a repressão e opressão de latifundiários e pecuaristas.
18h30 – Encerramento

SERVIÇO: 1ª Edição do Cine Brasil Marginal
Data: 13 a 15 de abril
Local: Cinemateca de Curitiba – Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco
Entrada gratuita

 

2018-04-12T12:00:47+00:00 12 Abril - 2018 |0 Comentários

Deixe uma resposta