Feminista Bebeti do Amaral Gurgel: Carla Diaz foi eliminada pelo mesmo machismo que sofreu dentro da casa

No Brasil de hoje, onde o atual presidente teve uma fraquejada e dela nasceu uma menina, a culpa ser da mulher se acentuou. Mesmo ela sendo a vítima

Bebeti do Amaral Gurgel

Por causa da pandemia, assistindo BBB pela primeira (e última) vez na vida, é estarrecedor verificar o número de pessoas que exerceu com prazer o seu direto de votar pela eliminação da atriz Carla Diaz. Segundo o raivoso tribunal das redes sociais, a atriz de 30 anos merecia ser eliminada pelo abominável motivo de não ter se revoltado contra o então namorado escroto mesmo sabendo que ela não havia visto absolutamente nada contra ele. O que o público, diferentemente dela, assistiu.

No BBB, a atriz disputava um paredão contra Rodolffo Matthaus, um sertanejo que aparenta ser homofóbico, misógino e machista. Rodolffo, da dupla sertaneja Israel e Rodolffo, é rico, branco, hétero, cis, totalmente padrão da cultura dominante. Foi esse mesmo sertanejo que já havia indicado a atriz Carla Diaz ao paredão com o argumento sexista de que ela “tinha sido desleal ao namorado”. Com o poder de um juiz parcial, adquirido não se sabe onde, Rodolffo julgava que Carla era a culpada, numa acachapante inversão de culpa. A mesma inversão que se repete quando a menina de minissaia é culpada por ser estuprada. No Brasil de hoje, onde o atual presidente teve uma fraquejada e dela nasceu uma menina, a culpa ser da mulher se acentuou. Mesmo ela sendo a vítima.

No caso das declarações homofóbicas, o sertanejo diz que nasceu em uma cidade racista e machista e talvez por isso seja assim. A culpa, então, é da cidade. O ator José Mayer, na época, justificou que assediava mulheres e se achava no direito de tocá-las por culpa da educação recebida. Nesse caso, a culpa então é dos pais. Doca Street assassinou Ângela Diniz por “legítima defesa da honra”. Culpa dela. Mariana Ferrer, estuprada. Culpa dela. E, sabemos que a lista é enorme. Minissaia, cidade, pais, honra, a culpa nunca é dos homens.

Arthur, o namorado escroto em questão, se ajoelha e dá uma flechada em Carla com as mãos. O tribunal das redes sociais acha romântico. Tempos depois, Carla Diaz, lembrando-se do ato, faz uma associação e se ajoelha para o namorado. Mas aí o tribunal raivoso condena: o mesmo ato deixa de ser romântico e passa a ser humilhante. É humilhante uma mulher se ajoelhar, não pode, mas o homem pode. O homem pode tudo. Arthur é narcisista, machista, manipulador, em um dia se declara, já no outro sequer olha para a namorada, em uma clara relação abusiva de poder, mas a culpa é da mulher. Arthur admite para Carla estar apaixonado, no dia seguinte diz estar arrependido do que disse. A culpa é dela, a culpa é da mulher. O cara é um escroto, mas a culpa é da mulher. Se a relação é tóxica, a culpa é da mulher.

Empatia? Se colocar no lugar dela? Sororidade? Acolhimento? Nem pensar.

A Lei Maria da Penha identifica violência emocional e psicológica contra a mulher como crime. Atos abusivos como confundir, humilhar, desvalorizar, diminuir a autoestima, tirar a liberdade de ação (Carla disse para Arthur que já não sabia como se aproximar dele) são considerados atos de violência. Mas as redes sociais dizem que não. Na narrativa do tribunal das redes, a culpa é dela.

Mulheres que estão em relacionamentos abusivos precisam de apoio, compaixão, sororidade, acolhimento, compreensão. Quem não dá esses sentimentos é porque não tem.

Carla Diaz trabalha desde os dois anos, sobreviveu a um câncer, participou de 21 novelas, seis filmes, 15 peças de teatro.

Eu me ajoelho para você.

 

Bebeti do Amaral Gurgel é escritora, jornalista, feminista e tem vários livros publicados

 

 

 

Você sabia que o Curitiba de Graça é um veículo feito por jornalistas e é independente? Para continuarmos fazendo nosso trabalho de difusão da cultura precisamos do seu apoio. Veja como colaborar AQUI.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Publicações Recentes

Especialistas da Alegria: Trupe de palhaços continua com visitas virtuais a hospital

Pandemia não foi empecilho para que a trupe Especialistas da Alegria continuasse com o seu trabalho no Hospital Erasto...
- Advertisement -

Veja Também

spot_imgspot_img

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.