Ressaca Cultural: Você lê livros escritos por mulheres?

JK Rowling, de Harry Potter, Amandine Dupin e as irmãs Brontë são algumas mulheres que precisaram usar pseudônimos ou apenas iniciais de seus nomes para começarem a ser lidas

Mariana Ramiro
Li uma matéria no ano passado que trazia uma informação consternadora, mas nada surpreendente: 80% dos livros mais populares da história foram escritos por homens.
Homens escreveram, de fato, muitas obras importantes, atemporais e relevantes ao longo da história. Isso é inegável e não é o que está em discussão aqui. Mas a porcentagem discrepante entre obras masculinas e femininas apresentada na matéria que eu citei não se deve ao fato de que mulheres não escrevem livros nem a alguma incapacidade feminina e muito menos por mulheres escreverem algum tipo de “literatura inferior”, como já foi defendido no passado.
Por uma série de fatores históricos que talvez não caibam neste pequeno texto, a produção intelectual feminina foi muito desqualificada ao longo do tempo. Mulheres não eram incentivadas a publicar suas histórias e, quando o faziam, eram muitas vezes julgadas e criticadas ferozmente. Livros escritos por mulheres eram classificados como “literatura feminina” e inferiorizados, enquanto os livros escritos por homens eram apenas “literatura” e tidos como universais. Muitas autoras, para fugir de preconceitos, evitar ideias pré-concebidas sobre suas obras ou até para que a venda não fosse prejudicada, tiveram que publicar seus livros sob pseudônimos masculinos ou, mais recentemente, usando somente as iniciais de seus nomes, como foi o caso de JK Rowling, Amandine Dupin, das irmãs Brontë, entre tantas outras.
Para quem pensa que essa discrepância é coisa do passado, os dados divulgados pelo grupo de Estudos em Literatura Brasileira, vinculado à Universidade de Brasília, podem ser surpreendentes: entre 1965 e 2014, mais de 70% dos livros publicados por grandes editoras foram escritos por homens.
Mesmo com tudo isso, gosto de me manter positiva: desses livros mais populares citados na matéria, o principal e mais popular deles foi escrito por uma mulher (O Sol é Para Todos, da Harper Lee) e há uma grande movimentação hoje para que mais livros escritos por mulheres sejam lidos – e o mesmo acontece com livros escritos ou protagonizados por pessoas negras, LGBT, pessoas de diferentes nacionalidades e regiões etc. Inclusive, há pequenas editoras e selos focados nesses livros.
Particularmente, acho isso muito animador. Vamos dar espaço à boa literatura, independente de quem a produz, sem desqualificar as obras previamente devido às suas origens e exaltando todas as grandes obras, sejam elas escritas por homens ou por mulheres.
Como o natural é que busquemos pelas obras mais conhecidas ou mais divulgadas, muitas vezes precisamos fazer um esforço consciente em busca dessa igualdade. Por isso, quero deixar um convite a todas e a todos, reforçado pelo Dia da Mulher: que tal começar este mês lendo livros escritos por mulheres?
Esse é o meu primeiro texto para o Curitiba de Graça. Vou trazer quinzenalmente dicas de livros ou comentários sobre literatura. Você vai encontrar as mais diversas obras por aqui. Espero que me acompanhe e possamos trocar muitas figurinhas e dicas a respeito deste tema.
De uma apaixonada por livros para outros – ou para futuros apaixonados por livros, quem sabe?
Deixo aqui uma lista de referências para vocês:
Link 1 
Link 2
Link 3
Link 4
Link 5 
Link 6 
 


Mariana Ramiro é uma profissional de marketing apaixonada por livros desde que se conhece por gente. Ela também é dona do canal Ressaca Cultural, no YouTube, onde compartilha experiências literárias e cinematográficas e você pode acessar, AQUI.

 
Você sabia que o Curitiba de Graça é um veículo feito por jornalistas e é independente? Para continuarmos fazendo nosso trabalho de difusão da cultura precisamos do seu apoio. Veja como colaborar AQUI.
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicações Recentes

Livro sobre mitologia de Hércules tem lançamento gratuito no Wonka Bar

"Os Doze Trabalhos de Hércules" é lançado em livro com poemas inéditos. Depois de passar pelo rádio, teatro e...
- Advertisement -

Veja Também

spot_imgspot_img