ARTIGO: Covid-19 e violência doméstica – agressão em dose dupla

No Paraná, dados indicam que na primeira semana do isolamento social os casos de violência doméstica atendidos pela Polícia Militar aumentaram em 15%

violência doméstica
Foto: iStock/Getty Images

*Por Débora Veneral e Bruna Isabelle Simioni Silva
O mundo foi assolado, de forma inesperada, por um vírus que, a partir de estudos preliminares, se investiga o tratamento mais adequado. Uma verdadeira corrida contra o tempo, em que diversos laboratórios ao redor do mundo estão em busca de uma vacina que seja capaz de diminuir os casos de contágio da doença.
Enquanto isso, com o objetivo de achatar a curva e diminuir a larga escala da pandemia causada pela Covid-19, os governos dos países vêm adotando medidas como o distanciamento social (diminuição da interação entre as pessoas) e a quarentena (restrição das atividades daqueles indivíduos que foram expostos a uma doença contagiosa, porém não estão sintomáticos).
No atual cenário, se de um lado temos a implantação de medidas de prevenção, em que foi imposta a restrição de deslocamento — ou seja, o enclausuramento das pessoas para reduzir a propagação da doença — de outro verificamos o aumento de violência doméstica familiar.
No estado do Paraná, dados indicam que na primeira semana do isolamento social os casos de violência doméstica atendidos pela Polícia Militar aumentaram em 15%. Não foi diferente em outros estados, como por exemplo São Paulo, que registrou um aumento de 30%; Rio de Janeiro, com 50%;e o estado de Mato Grosso do Sul, que registrou aumento de 400% no número de feminicídios. Nesse último, enquanto em março de 2019 foram vitimadas 2 mulheres, neste mesmo período em 2020 o número aumentou para 10 mulheres — coincidentemente, no mês que se iniciou o isolamento social.
Com o período de confinamento, a convivência familiar foi intensificada e, com ela, surgiu a instabilidade emocional, a insegurança e o medo pela incerteza quanto aos acontecimentos futuros. Somado aos fatores emocionais está o fator financeiro, marcado pela incerteza da estabilidade nas relações trabalhistas e, especialmente, pela ausência de dinheiro.
No Brasil a violência doméstica e familiar contra a mulher — que já alcançava coeficientes altos, chegando a finalizar o ano de 2019 com o recebimento de 563,7 mil novos processos — passa a ter uma nova preocupação com o período de distanciamento social, considerando que aumenta o número das mulheres com parceiros violentos e que acabam separadas das pessoas e dos recursos que podem melhor ajudá-las, fazendo que os casos alcancem níveis ainda mais elevados.
Ainda não é possível mensurar com profundidade as razões para o aumento da violência contra a mulher em determinadas regiões do país. Sem sombra de dúvidas, essa violência chegou antes do coronavírus e, com o isolamento social e a maior convivência com o agressor, isso apenas foi intensificado, tornando-se, então, um terror em dose dupla. Essa mulher, além do medo de contaminação pelo vírus, ainda precisa enfrentar seu outro inimigo: o agressor que na maioria das vezes está debaixo do mesmo teto.
Com o objetivo de combater a violência doméstica, a ONU criou uma cartilha de orientação sobre o problema durante a pandemia e, no mesmo sentido, fez a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, trazendo informações para o atendimento das mulheres em situação de violência.

VEJA TAMBÉM: Suporte emocional durante a pandemia

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos lançou, no início do mês de abril, uma plataforma digital dos canais de atendimento, considerando que “a pessoa agredida não consegue pedir ajuda reservadamente”, realizando dessa forma não só a ampliação do serviço, mas garantindo maior segurança para a mulher que deseja informar a agressão.
As informações elencadas dizem respeito ao horário, funcionamento e orientações gerais sobre a central de atendimento à mulher, casa da mulher brasileira, defensorias públicas e núcleos especializados no acolhimento e atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, delegacias especializadas de atendimento à mulher e juizados especializados de violência doméstica e familiar contra a mulher.
As mulheres que sofrem de violência doméstica podem acionar diretamente a Polícia Militar pelo telefone 190, assim como podem utilizar o Disque 180 para os casos de orientações e atendimento. Além das vítimas, os próprios vizinhos, parentes e amigos também podem contatar a polícia, caso suspeitem da ocorrência da violência.
O momento é de solidariedade para a realização de uma rede de proteção a essas mulheres que, em vez de se preocuparem em defender-se de um vírus desconhecido e invisível, precisam proteger-se do seu maior inimigo: o agressor que visivelmente convive a seu lado.
*Débora Veneral é advogada e diretora da Escola Superior de Gestão Pública, Política, Jurídica e Segurança do Centro Universitário Internacional Uninter
*Bruna Isabelle Simioni Silva é advogada e professora do Centro Universitário Internacional Uninter
 

Telefones para denúncia e busca por ajuda
*O atendimento é 24 horas, todos os dias da semana

Emergências 190
Denúncias 180
Casa da Mulher Brasileira (41) 3221-2701 ou 3221-2710
Patrulha Maria da Penha
(mulheres com medida protetiva)
153

 
 
 
 
Apoie os pequenos negócios!
Acesse a Rede do Bem e confira os pequenos empresários e comércios que estão trabalhando para deixar sua vida mais confortável!

Deixe uma resposta

Publicações Recentes

Curso de Produção e Gestão Cultural: 25 vagas gratuitas em Curitiba

Está aberta a convocatória gratuita que vai selecionar 25 artistas de regiões descentralizadas de Curitiba para um Curso de...

Veja Também

spot_imgspot_img

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.