Acabou o Carnaval: Quando 2021 vai começar?

Ausência de ritos de passagem atrapalha a sensação de que a vida segue: marcos temporais são importantes para o emocional e para a economia do país

No Brasil, é comum ouvir que o ano só começa depois do Carnaval. As férias de verão acabam, as aulas recomeçam, as atividades entram no ritmo, a economia acelera. Desta vez, com a folia suspensa por causa da pandemia, a dúvida é: quando, afinal, 2021 vai engrenar? Por que muita gente tem a sensação de que 2020 não terminou?
Para o mestre em Psicologia Guilherme Alcântara Ramos, professor do UniCuritiba, membro do Núcleo de Atendimento Psicopedagógico da instituição e coordenador da Comissão de Psicologia Organizacional e do Trabalho do Conselho Regional de Psicologia, o cancelamento do Carnaval – e também do Réveillon – em função da pandemia, provocou a sensação de que 2020 foi um “ano sem fim”.
“Esses eventos são ritos culturais consolidados no Brasil como fases de transição e têm um efeito psicológico importante. Mesmo quem voltou ao trabalho em janeiro tem o Carnaval como um marco temporal. Esses momentos marcam uma nova fase que nos prepara para enfrentar as demandas futuras e, portanto, a não realização destas festas torna seu efeito simbólico mais frágil, provocando essa sensação de que algo está faltando e de que não estamos adequadamente preparados para o que está por vir”, explica.
Os impactos não são apenas psicológicos. A falta desses “marcadores” a que se refere o professor Guilherme tem reflexos também na economia do país. “É muito difícil pensar no começo de um novo ano, uma vez que a pandemia ainda não acabou. Infelizmente, os foliões ficaram sem Carnaval e a economia, sem pós-Carnaval”, avalia a economista Patrícia Tendolini Oliveira, mestre em Administração e coordenadora do curso de Relações Internacionais do UniCuritiba.
A retomada, continua a professora, está na expectativa de medidas como o novo auxílio emergencial (ainda que em uma versão diferente da adotada em 2020, com três parcelas de R$ 200 e menor abrangência), a antecipação do 13º do INSS, a reativação do programa de manutenção do emprego e a flexibilização das exigências para a concessão de crédito. “Essas iniciativas podem garantir uma certa retomada e uma melhora no ambiente econômico.”

Pandemia no centro das atenções

Mesmo que 2021 já tenha chegado, a tendência é que a vida continue girando em torno do mesmo tema: a pandemia. “Há estimativas de que apenas em setembro o Brasil alcance a chamada imunidade de rebanho, com boa parte da população vacinada, e só então a vida comece a voltar ao normal. Ainda assim há a possibilidade de novas cepas do vírus não serem combatidas pelas atuais vacinas, sob o risco de o problema se arrastar por mais tempo”, avalia a economista.
O psicólogo Guilherme Ramos concorda que o tema dominará a pauta nos próximos meses, impactando de forma significativa os processos de trabalho, emprego, renda, economia e as relações interpessoais. Tudo agravado pelo posicionamento divergente dos agentes públicos na condução do assunto.
“A divergência na conduta e nas comunicações confunde a sociedade e não cria um padrão de ações consistente a ser seguido pela população, aumentando a insegurança, os questionamentos, os conflitos, o esgotamento mental, o cansaço e essa sensação de que o ano não termina”, avalia.
Segundo Patrícia Tendolini, os reflexos são diretos na economia e embora a expectativa de crescimento gire em torno de 3,5% em 2021, o índice sequer recupera a queda de 2020, projetada para 4,3%.
“As medidas em estudo pelo governo federal podem representar uma leve melhora para a economia, mas a geração de emprego e renda no longo prazo vai muito além dessas ações pontuais e depende de fatores estruturais como produtividade da mão de obra, ambiente de negócios e segurança jurídica”.

VEJA TAMBÉM: ComoVer 100 Sombra de Dúvida: Oficina criativa tem inscrição gratuita

Responsável por mais de 60% do PIB do Brasil, o setor de serviços pode contribuir para uma retomada econômica mais rápida, avalia a professora do UniCuritiba. “É importante que o comércio, restaurantes, bares, salões de beleza e serviços de transporte – atividades presentes em grandes e pequenas cidades – consigam retomar os negócios. O problema é que essas atividades são as que mais sofrem com o isolamento social e, portanto, são as que mais precisam da população imunizada contra o coronavírus.”

Vacinação em massa

Na avaliação da mestre em Administração, Patrícia Tendolini, a sensação de normalidade tão desejada pelos brasileiros e a “confirmação” de que o ano, de fato, começou, vão depender da imunidade de rebanho. “A vacinação em massa é fundamental. As estabilidades econômica e política estão diretamente relacionadas e a confiança de empresários e consumidores, tanto na economia quanto na política, será essencial para pensar em um futuro promissor para o país.”
Enquanto a imunização da população não acontece e os grandes eventos – os marcos temporais que ajudam na programação mental – não podem ocorrer em função da pandemia, o psicólogo Guilherme Alcântara Ramos tem dicas. “Podemos fazer rituais particulares que vão criar essa condição psicológica, essa predisposição para lidarmos com o novo, com as novas demandas, os novos projetos. Podemos estabelecer um marco próprio e que cause o mesmo efeito, não precisa ser exatamente uma festa de Réveillon ou o Carnaval”, ensina.

Importância dos ritos de passagem

O professor do curso de Psicologia do UniCuritiba explica que os rituais de passagem são construções sociais e culturais importantes do ponto de vista emocional e psicológico. Ajudam, inclusive, a delimitar as formas como as pessoas são vistas socialmente.
É assim no aniversário de 18 anos, quando o indivíduo passa a ter novos direitos e deveres como cidadão; na formatura, quando deixa de ser estudante e se torna um profissional; no casamento, quando assume um novo status perante a sociedade. Mas não são apenas os grandes eventos que são importantes.
“Os rituais existem para aumentar a nossa predisposição diante de uma nova demanda. Em menor escala, são os ritos diários, como, por exemplo, tirar o pijama e se arrumar para o trabalho, mesmo que seja em home office. Isso nos faz sentir preparados para executar melhor as funções”, orienta.
É neste sentido que o especialista fala sobre a importância de cada pessoa criar seus próprios mecanismos para virar a chave e começar outro ciclo. “Se estamos impedidos pela pandemia de participar dos marcos temporais tradicionais, com aglomeração, o jeito é ter rituais particulares e específicos que provoquem as mesmas sensações e nos preparem para encarar o novo ano. Não precisamos depender do Carnaval para isso”.

Covid-19 e a sobrecarga emocional

Não bastasse a confusão provocada pela ausência dos tradicionais rituais que garantem o início de novas fases na vida das pessoas, a pandemia também restringiu as opções de lazer e diversão. Na avaliação do membro do Núcleo de Atendimento Psicopedagógico do UniCuritiba, professor Guilherme Alcântara Ramos, esse é outro complicador emocional.
“Além de termos que lidar com um inimigo invisível, o vírus da Covid-19 – o que torna o desafio do autocuidado e do cuidado com os outros ainda maior – o trabalho invadiu as residências e as condições de lazer e diversão foram reduzidas. Estamos mais cansados e sobrecarregados. Precisamos criar condições prazerosas, seguras e lúdicas para lidar com as alterações que a pandemia impôs às nossas vidas”, comenta.
 
Você sabia que o Curitiba de Graça é um veículo feito por jornalistas e é independente? Para continuarmos fazendo nosso trabalho de difusão da cultura precisamos do seu apoio. Veja como colaborar AQUI.

Deixe uma resposta

Publicações Recentes

Últimos Dias para Visitar a Exposição Poty Expandido na CAIXA Cultural Curitiba

Com entrada gratuita, confira a homenagem ao artista curitibano Poty Lazzarotto. A exposição vai até 30 de junho. Exposição Poty...

Veja Também

spot_imgspot_img

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.