Publicado em 6 de março de 2020

“Lugar das Coisas Perdidas” da Alameda Cia Teatral
traz a discussão aos palcos de forma leve

Foto mostra um pano com alguns brinquedos

Peça destinada ao público infantil discute o luto de forma lúdica. Foto: Divulgação

Neste sábado (07/03), a partir das 16h, o Teatro Ênio Carvalho, localizado no Centro Cívico, recebe a peça “Lugar das Coisas Perdidas”, destinada ao público infantil discute o luto de forma lúdica, respondendo algumas dúvidas da personagem Melinda. Ela é responsável por organizar e catalogar todas as coisas que se perdem desde cabeças de boneca ou dentes de leite até itens indispensáveis como documentos e sorrisos.

O espetáculo, criado pela Alameda Cia Teatral e inspirado num fato real, conta com a direção de Cristóvão de Oliveira, e tem no elenco Daphne Garcez, Etty Nandes, Galvani Júnior e Rafael Menezes. A composição e direção musical são de Mel Maia e arranjos de Marlon Siqueira.

A peça

A dramaturgia, assinada por Cristóvão de Oliveira, Daphne Garcez, Galvani Júnior, Kellyn Bethania e Rafael Menezes, conta a história de Melinda. As coisas que se perdem são selecionadas, organizadas e catalogadas por ela até que sejam encontradas. “O tempo lá passa tão devagarinho quanto Tootsie, uma filhote de bicho-preguiça que se perdeu quando fugia de uma onça faminta e acabou caindo pelo tubo por onde caem todas as coisas perdidas”, explica o diretor. “Tudo vai bem, entre uma tampa de caneta e outra que se perde, até que cai ali uma menina. Melinda é especialista em coisas, mas com pessoas ela não tem experiência. Algo está sem sentido para Kika e Melinda precisa entender o que é”, destaca Cristóvão de Oliveira.

Foto mostra uma atriz descendo em um escorregador

O espetáculo oferece experiência imersiva para o público (crianças e adultos). Foto: Divulgação

Para a equipe da Alameda Cia. Teatral discutir assuntos que são apenas conversas de adulto é uma ação necessária no teatro feito para crianças. “Investigando a linguagem cênica contemporânea aplicada ao público infantil, sabemos da importância de tocar em questões mais delicadas e sensíveis, de modo a não subestimar a capacidade de apreensão e compreensão da criança sobre temas mais complexos”, pontua Galvani Junior, da companhia de teatro.

Experiência

A criação do espetáculo foi feita de forma colaborativa, na qual o grupo explorou a história criada por Kellyn Bethania para desenvolver as personagens Melinda, uma criatura fantástica com colo de vó, coração de mãe, nariz de porquinho rosa, orelhas de duende, bochechas de criança e cheirinho de bebê; a bicho-preguiça Tootsie, que se perdeu quando caiu do galho onde tentava alcançar uma fruta para comer e foi perseguida por uma onça; e Kika, uma menina de 10 anos, grande demais para sua idade, de olhos brilhantes e cabelos bagunçados – que procura pela mãe.

Foto mostra a visão de alguém de dentro de um armário

Lugar das Coisas Perdidas” estreia sábado (07), no Teatro Ênio Carvalho. Foto: Divulgação

Segundo Galvani Junior, a equipe criou um espetáculo repleto de sutilezas e que discute o luto de forma lúdica. “A montagem propõe um jogo entre o inefável de uma experiência desconhecida e a habilidade que a criança tem de lidar muito naturalmente com situações às quais o adulto fica cheio de dedos”, sublinha.

“Lugar das Coisas Perdidas” oferece experiência imersiva para o público (crianças e adultos). A ambientação cenográfica é parte fundamental da relação cena e espectador e a composição musical original constrói atmosfera de conforto para o espetáculo, sendo complementada por iluminação sutil e delicada. As personagens foram concebidas em cores vibrantes com figurinos que divertem e encantam.

Serviço: Lugar das Coisas Perdidas
Estreia: sábado (7 de março), às 16h
Em cartaz até 26 de abril (aos sábados, às 16h, e aos domingos, às 11h)
Local: Teatro Ênio Carvalho – Espaço Cultural FALEC – Rua Mateus Leme, 990 – Centro Cívico
Ingressos: R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 20,00 (inteira)
Mais informações pelo telefone (41) 3352-2685

 

Leave A Comment